Guia Completo e Comentado da Dieta Low Carb 【Atualizado 2017】

Guia Completo e Comentado da Dieta Low Carb 【Atualizado 2017】

Quem nunca se olhou no espelho e achou que seu próprio corpo poderia ser melhor. Que ficaria mais bonita se perdesse alguns quilos logo. Pois é, ter um corpo mais atraente é o motivo de 99,999% das pessoas que entram na academia.

 

Daí você passa a comer menos, reduz as porções do prato, come a mesma coisa que sempre comeu só que em menor quantidade, depois conversando com mais pessoas descobre que o que engorda é comer carboidrato em excesso e decide: “Vou cortar o carbo de vez!”

 

Tenta… E descobre que tudo que você gosta é carbo. Arroz é carbo, batata é carbo, macarrão é carbo, milho, pão francês, pão de alho, doritos, cheetos, passatempo, sorvete, strogonoff, frutas, aveia, quinoa, refrigerante, feijão… A lista não tem fim.

 

Como emagrecer desse jeito se tudo o que engorda é tudo o que se come? Verdade, difícil aceitar esse caminho sem sentido

 

Aqui começam a aparecer os espertinhos “então, o caso é ter bom senso, basta comer de tudo desde que moderadamente, só evita mesmo o açúcar, porque açúcar eleva sua insulina e te faz engordar”,  eles se entopem de subutramina, termogênicos e suplementos emagrecem por um tempo e depois quando o remédio para de fazer efeito, somem da academia.

 

Porque se soubessem mesmo se alimentar saberiam que apenas reduzir o açúcar não emagrece ninguém, nem é possível comer menos açúcar do dia pra noite.

 

Dentro de tanto falatório você se convence que não conhece nada do assunto e faz o que toda pessoa esperta faz: joga no Google como emagrecer rápido.

 

E dentre tantos melhores métodos para emagrecer e ficar mais bonita descobre um que é sensacional, última novidade, tendência… Contar pontos. Método oficial utilizado no programa vigilantes do peso.

 

“Se isso funciona em quem precisa perder 40 Kg em mim vai dar resultados em uma semana” – você pensa.

 

Correto, a dieta dos pontos é até hoje utilizado no programa dos Vigilantes do Peso. Porém esse método fantástico tem mais de 50 anos, de lá pra cá a ciência evoluiu muito e nosso conhecimento sobre metabolismo e quebra de alimentos aumentou muito.

 

Essa dieta foi tendência quando você era uma criança. Hoje existe métodos mais inteligentes e certeiros.

De lá pra cá a ciência da nutrição avançou muito e esse método foi todo repaginado e está muito mais confiável. O que antigamente era contagem de calorias representada por pontos, hoje tem um macete muito mais prático de usar no dia a dia.

 

Uma dieta mais prática, um método revolucionário de emagrecimento que entende que perder peso não é só uma questão matemática (calorias que se ingere menos calorias que se gasta), mas um processo metabólico gerenciável (onde você nutre seu corpo com boas fontes de energia e deixa o corpo trabalhar e emagrecer no processo) chama-se dieta low carb.

Como Funciona a Dieta Low Carb

Opções Low Carb

 

 

Dieta low carb significa dieta de pouco carboidrato, ou seja, é uma dieta de baixo consumo de carboidratos, comendo menos carbo a pessoa acaba automaticamente ingerindo menos calorias e passa a ter uma alimentação mais fiel ao seu objetivo.

 

Ok! E cade a inovação, se eu contar pontos também vou manter a baixa ingestão de calorias e o esperado é emagrecer!

 

E essa é a inovação, numa dieta tradicional de contagem de pontos, tudo é permitido comer desde que você não ultrapasse o limite de pontos diário e semanal. Na dieta tradicional não tem uma atenção a montagem do prato quanto ao valor nutritivo, apenas restringe o valor calórico como um todo.

 

Contar pontos só te ajudava a não exagerar nas porções e não a ter uma alimentação saudável.

 

E isso diminui a eficiência da dieta. Por outro lado garante o sucesso de quem segue a low carb, cujo o foco é reduzir o consumo de carbos, que normalmente são alimentos vazios, sem muita contribuição nutricional apenas pesando no estômago e não contribuindo para uma dieta balanceada.

Quem estuda os princípios da dieta low carb tem uma alimentação mais balanceada, saudável e se precisa emagrecer, emagrece e não volta a engordar.

 

Normalmente, uma refeição low carb substitui os carboidratos por gorduras, que nutre quase 3x mais e você acaba comendo menos , sem a necessidade de contar nada.

 

Desde 2004, foram publicadas mais de 20 pesquisas que demonstraram a eficácia do corte de carboidratos na melhora da saúde em geral.

 

No passado, antes de tanta pesquisa, a dieta de baixo consumo de carboidrato era considerada underground e prejudicial à saúde a ponto de médicos que receitavam esse tipo de dieta terem sua licença caçada.

>>>Carboidratos Sem Mistério, saiba como classificar cada alimento, clique aqui<<<

 

No entanto, hoje novos estudos sobre a dieta low carb ao redor do mundo já provaram que a gordura é inofensiva. E não há mal em substituir carboidratos por gorduras, mesmo as saturadas

 

E desde então, cada vez mais as pessoas comprovam que a dieta low carb (LC) emagrecem mais que dietas low fat (pouca gordura e mais ricas em carboidratos) e melhoram os índices de saúde,como índices de glicose, colesterol, triglicérides e outros marcadores de saúde.

 

Apesar do alto consumo de gordura, a dieta low carb (inclusive a Dieta Cetogênica, clique aqui para saber mais e a Dieta Atkins) não aumentam o colesterol LDL (o colesterol “ruim”) de modo geral, embora isso possa acontecer com uma minoria.

 

Benefícios da Dieta Low Carb

Quando você reduz um macronutriente em sua alimentação (carboidrato, no caso), terá que compensar aumentando outro macronutriente.

 

Não é um aconselhável reduzir carbo e gordura ao mesmo tempo porque assim sobraria poucas fontes de energia para te manter nutrida e sem fome.  Esteja certo que essa dieta tem base sólida e amplamente comprovada.

 

Agradeça por viver nos dias atuais onde tudo já foi extensamente estudado e comprovado e não precisamos ficar dando cabeçadas, perdidos e sem rumo tentando emagrecer sem nunca conseguir.

 

São diversos os benefícios da low carb, confira:

 

1. Dieta Low Carb Mata a Fome

Alimentação Low Carb

 

 

A fome é o maior inimigo de qualquer dieta.

 

Uma das grandes vantagens da dieta low carb é a redução automática da fome e a sensação de apetite.

 

As pesquisas mostram enfaticamente que as pessoas acabam ingerindo menos calorias quando cortam os carboidratos e comem mais proteína e gordura, sem se esforçar para isso.

 

Na verdade, os pesquisadores para compararem a dieta low carb com as dietas convencionais (baixa gordura) são forçados a restringir o consumo de calorias para quem faz a dieta convencional para poderem analisar melhor os resultados. Ou seja, impõem 2 sacrifícios: só comer o que lhes dão e quantidade regulada a risca.

Ao entender profundamente como comer low carb, você pode se servir da quantidade que desejar e repetir também. Não existe essa de pesar o prato, ou voltar a comer só daqui 3 horas.

>>Conheça o Melhor Programa de Emagrecimento com Dieta Low Carb no Brasil<<<

 

2. Dieta Low Carb Emagrece Mais Rápido

Resultados com a Deita low carb

 

 

Cortar os carboidratos da alimentação é uma das formas mais certeiras de emagrecer.

 

Desde 1950 os centros clínicos mostram que pessoas em dieta low carb chegam a perder de 8 – 15 kg em 30 dias e depois da dieta mantem o peso, se comparado com as dietas convencionais a perca se dá até 4kg no mesmo período.

 

Ou seja, quem faz a dieta low carb chega a perder 2 a 3 vezes mais peso, sem passar fome.

 

3. Diminui o Nível de Triglicerídeos do Sangue

Gorduras do Bem-Low Carb

 

 

Triglicerídeos são moléculas de gordura, e o nível deles no sangue é um forte indicador de risco de doenças cardíacas.

 

Pode parecer estranho, mas o principal causador dos altos níveis de triglicerídeos é o consumo de carboidratos, principalmente na forma de frutose, açúcar encontrado nas frutas e no mel.

 

Quando as pessoas cortam os carboidratos, os níveis de triglicerídeos tendem a cair drasticamente.

 

Já as dietas convencionais podem fazer o nível de triglicerídeos subir em vários casos.

 

4. Melhora os Níveis do HDL (o Colesterol “Bom”)

Alimentação e a Saúde do Coração - Low Carb

 

 

Sabemos que quanto maior a proporção de HDL frente ao LDL, menor o risco de doenças cardíacas.

 

Uma das melhores maneiras de aumentar o HDL é consumir gordura… E a dieta low carb incluem bastante gordura.

 

Assim não é surpresa descobrir que os níveis de HDL sobem bastante em dieta low carb, enquanto tendem a se manter estáveis ou até mesmo a cair nas dietas convencionais.

 

A proporção de triglicerídeos: HDL é outro forte elemento que ajuda a avaliar o risco de doenças cardíacas. Quanto maior for essa proporção (ou seja, quanto mais triglicerídeos e menos HDL), MAIOR é o risco de cardiopatias.

 

A reduzir os níveis de triglicerídeos e aumentar o de HDL, a dieta low carb contribuí muito para melhorar essa proporção.

 

 5. Reduz os Níveis de Glicose e Insulina do Sangue

Glicômetro-Dieta Low Carb

 

 

O corpo digere os carboidratos transformando-os em açúcar simples (principalmente glicose).

 

Esse açúcar cai na corrente sanguínea e eleva os níveis de glicose.

 

Como níveis elevados de açúcar no sangue são tóxicos, o corpo reage com o hormônio insulina, que sinaliza para as células absorverem e armazenarem a glicose.

 

Armazenar glicose significa criar gordura, significa estocar energia, significa engordar.

 

Há ainda o problema de “resistência à insulina”, que significa que o corpo tem dificuldade de armazenar a glicose nas células, mesmo com a liberação de grandes quantidades de insulina.

 

A resistência à insulina pode levar à diabetes tipo 2, que ocorre quando o corpo não consegue produzir insulina o suficiente para retirar a glicose da corrente sanguínea após as refeições.

 

Trata-se de uma doença bastante comum, que afeta mais de 300 milhões de pessoas no mundo.

 

E a solução para o problema é bem simples ao cortar carboidratos, você reduz ou elimina a necessidade de insulina. Assim, tanto os níveis de glicose como o de insulina caem bastante nas dietas low carb.

 

De acordo com o dr. Eric Westman, que tratou muitos diabéticos usando uma abordagem low carb, ele conseguiu reduzir a dose de insulina de seus pacientes em 50% já no primeiro dia.

 

Em uma pesquisa com diabéticos de tipo 2, 95.2% conseguiram reduzir ou eliminar o uso de remédios dentro de 6 meses com a dieta low carb.

 

Importante: se você atualmente está tomando remédios para reduzir o nível de glicose, é bom falar com seu médico antes de aderir a dieta low carb. A dosagem do remédio precisa ser ajustada corretamente para evitar hipoglicemia e demais transtornos. Fique atento.

 

 Mais Benefícios…

Estilo de Vida Low Carb

 

 

Até agora eu falei de alguns estudos e como a dieta low carb atua no benefício da saúde em geral, mas além de tudo isso a dieta low carb também reduz a pressão alta.

 

Combate a síndrome metabólica, uma condição que está ligada ao risco de diabetes e doenças cardíacas. Por conta de todos esses benefícios a dieta low carb é considerada a melhor dieta para pessoas comum que querem mudar o modo que se veem no espelho.

 

Mas o modo de comer low carb beneficia ainda mais algumas pessoas que sofrem muito com a sua aparência:

 

  • Pessoas com mais de 20 Kg a perder só tem a ganhar com essa dieta, terão boas reduções nas medidas, percentual de gordura, ganho de massa magra e normalização do colesterol, pressão e humor.

 

  • Pessoas com Obesidade Mórbida com dificuldades de praticar exercícios sofrem com os efeitos do sedentarismo e suor excessivo, mesmo assim se tomarem a decisão de entrar na low carb terão melhora nos índices de colesterol, glicemia em jejum, a resistência a insulina vai diminuir, e o cardápio amplo de delícias low carb inclui petiscos e guloseimas para fazer essa mudança de hábito possível. Imagine poder emagrecer sem a necessidade de redução de estômago.

 

  • Adolescentes com sobrepeso e pressão alta. Muito comum jovens abusarem do sal e açúcar e desde novos sofrerem com questões de saúde. Além de perderem peso 33,3% mais rápido que outros jovens que fazem dietas convencionais a normalização da pressão e da insulina é muito mais ligeira. No caso de adolescente podemos falar que low carb é a pílula mágica pra ganho de saúde e perca de peso.

 

  • Adolescentes com obesidade mórbida. A dieta low carb é a mais recomendada por conta da rápida recuperação da saúde e perca de gordura.

 

  • Mulheres saudáveis. Foi descoberto também que a alimentação low carb melhora significativamente o nível de triglicérides no sangue de mulheres que não se queixam de problemas de saúde. Fica a dica, se mulheres usam creme anti-idade para se prevenirem o que dizer de uma alimentação saudável.

 

  • Hiperlipidemia. É o aumento anormal nos índices de gordura no sangue. Mesmo assim a dieta low carb resolve o problema. Esse na minha opinião é o estudo mais importante, durou 24 semanas e mesmo pessoas gravemente doentes perderam 9,4 Kg.

 

  • Homens e mulheres com gordura abdominal. Sabe aquelas pessoas que são magras, mas tem barriga, a low carb emagreceu até 6,8 Kg em homens e 2 Kg em mulheres.

 

  • Mulheres na pré-menopausa (35-35 anos). Período delicado e assunto igualmente delicado. Como não sou mulher deixo as considerações para vocês mesmas. O importante é frisar que a sensação de fome é significativamente melhor se você tem uma alimentação low carb.

 

  • Diabetes tipo 2. Melhora o colesterol e reduz a dose diária de insulina.

 

  • Pessoas com Risco de Doenças Cardíacas. A mudança para a dieta low carb em 12 semanas melhorou significativamente os níveis de açúcar no sangue, colesterol e triglicérides.

 

  • Todas as pessoas. Vai emagrecer mais comendo low carb sem contar calorias se comparado a qualquer dieta de baixa gordura com controle de pontos. Vai sentir menos fome e o humor vai melhorar mesmo depois de 6 meses. Melhora o desempenho cognitivo.

 

Como Começar A Dieta Low Carb em 3 Simples Passos

 

Passo #1 – Saiba a Quantidade de Carboidratos que Você Precisa Comer por Dia para Emagrecer

2 opções de carbos. A Escolha É Sua

 

 

Eita… Mas você não tinha dito que não precisava contar calorias, agora quer que eu conte carboidratos?

 

Pois bem, quem segue já uma alimentação low carb não precisa contar pra ter uma melhora na saúde a curto, médio e longo prazo, mas se o seu objetivo é perca de peso, você tem que passar por uma reeducação alimentar mais criteriosa e se habituar a comer bem o mais rápido possível.

 

No próximo passo já vou listar quais alimentos fazem parte da alimentação low carb, mas antes você precisa entender que se estar com umas gordurinhas a mais é porque houve acumulo de glicose no seu corpo e isso derivou de consumo excessivo carboidratos, independente de qual foi ele, pão ou batata doce.

 

Claro que bata doce é uma alimento muito mais saudável que pão, mas é carboidrato e se você quer emagrecer deve limitar o consumo de carbos no dia, além de fazer escolhas mais saudáveis.

 

NOTA: Digo que a batata doce é mais saudável porque ela in natura, ou seja, como foi colhida da terra, sem industrialização contem juntamente com seu peso de carboidrato vitaminas e minerais em boa quantidade que também nutrem o corpo e são indispensáveis para sua saúde. O pão como é feito de farinha de trigo refinada, teve no processo industrial a retirada de vitaminas e minerais do trigo colhido no campo, o deixando com carboidrato simples, nu, sem qualquer outra função metabólica.

 

Carboidrato é carboidrato e no início da dieta, quando você ainda está infestada de hábitos ruins e não sabe ouvir, não presta atenção nos sinais do corpo contar net carbs é a saida que você precisava.

 

Com o tempo você não vai mais precisar contar nada, já depois de uns 3 meses de dieta, de erros e acertos, você pode confiar no seu bom senso, antes disso é ingenuidade não contar net carbs.

O que são net carbs?

Net carbs ou carboidratos líquidos são os carbos totais menos as fibras. Embora as fibras também sejam carbos elas não impactam no nível do açúcar no sangue, portanto não devem ser contabilizadas.

 

Um exemplo legal é o abacate: 100 g de abacate tem 9 g de carboidrato e 7 gramas de fibra, então são apenas 2 g de net carbs, o que faz dele a melhor opção entre as frutas low carb.

 

Contando carboidratos

Ao menos nos 3 primeiros meses de dieta é essencial manter um diário alimentar – é uma ótima oportunidade para aprender sobre a dieta e sobre a quantidade de carboidrato dos alimentos.

 

Comece abrindo uma conta em uma ferramenta que contabilize os carboidraros, como o FatSecret, clique aqui. No menu alimentos pesquise suas opções e descubra o que realmente está comendo. Nesse inicio é cheio de aprendizados, é desafiador, exige muito de você, mas a recompensa é maravilhosa.

 

Esse é o meio como as dietas são montadas, de como prescrever quais alimentos comer e qual a quantidade.

 

O único modo de se livrar disso é terceirizando o trabalho passando numa nutricionista e exigindo um cardápio low carb, ou participando de um programa de emagrecimento com um dieta inicial já prescrita. Minha sugestão é o Código Emagrecer de Vez.

 

Qual a quantidade de carbos ideal para consumir?

Depende dos seus objetivos! Se tiver muito para perder (mais de 10 Kg), não ultrapasse 20 gramas de net carbs/dia.

 

Se tiver menos de 10 Kg para perder ou não estiver com muita pressa pode comer mais, na faixa de 35-40 g.

 

Após passadas as duas primeiras semanas de alimentação low carb, você pode:

  • aumentar gradativamente os carbos de 5 em 5 g
  • permanecer na cota inicial

 

Até chegar a 5 Kg do seu peso ideal.

 

Dessa forma é possível perder peso de maneira rápida, sem passar fome e comendo uma quantidade de vegetais ótima para manter a nutrição em dia.

 

Experimente

O importante é você testar e descobrir qual é a faixa que melhor atende aos seus objetivos.

 

Se você tem algum problema de saúde, é importante conversar com seu médico antes de fazer qualquer mudança, porque a dieta Low Carb pode reduzir drasticamente a necessidade de remédios.

 

Perca peso rapidamente com o Código Emagrecer de Vez (clique aqui), uma técnica que mescla fundamentos low-carb com avançadas técnicas alimentares.

 

Passo #2 – Aprenda o que Você Pode e Não Pode Comer na Low Carb

Evite Esses Alimentos. Aumentam Rapidamente o Nível de Insulina

 

 

Não basta só pensar em cortar carboidratos, é importante saber o que evitar a qualquer custo. Há também uma categoria de talvez sim, talvez não, que vai depender muito do perfil que você definiu no passo anterior.

 

De novo, a lista abaixo é só um exemplo. Muitos alimentos não constam na lista, por isso sugeri o FatSecret para você pegar a lista completa de alimentos.

 

Pode Comer

  • Carne: Vaca, porco, galinha e outros.
  • Peixe: Todo tipo de peixe e frutos do mar são válidos.
  • Ovos: Ovos caipiras são os melhores.
  • Verduras e legumes: Espinafre, brócoli, cenoura, e todo tipo de verduras em geral.
  • Nozes e sementes: Amêndoas, castanhas, nozes, semente de abóbora e girassol etc.
  • Laticínios: Queijo, manteiga, creme de leite, iogurte.
  • Gorduras e óleos: Óleo de coco, manteiga, banha, azeite de oliva e óleo de peixe.

 

Pode Beber

  • Café (com moderação)
  • Chá
  • Água

 

Talvez Sim, Talvez Não

Se você NÃOprecisa perder tanto peso, pode se dar ao luxo de incluir mais carbos na sua alimentação. Nesse caso, você pode consumir os da lista abaixo

  • Tubérculos: Batata, batata-doce, beterraba, cenoura e outros
  • Grãos sem glúten: Arroz, aveia, quinoa e outros
  • Leguminosas: Lentilhas e feijões.
  • Frutas: Atenção para a quantidade de açúcares das frutas.
  • Chocolate: Prefira os amargos, de 70% para mais.
  • Vinho: Moderadamente e evite o vinho do Porto, que tem grande quantidade de açúcar.

 

Elimine Sem Dó

  • Açúcar refinado: Refrigerantes, suco de frutas, sorvete, doces e bolos e tudo o que leva açúcar refinado ou glucose de milho.
  • Grãos com glúten: Trigo, centeio e cevada. Sim, isso inclui pães, massas e cerveja =(
  • Gordura trans: Corte todo tipo de gordura hidrogenada ou parcialmente hidrogenada, como margarinas.
  • Produtos “light” e artificalmente low-fat: Todo produto “light”, especialmente laticínios, costuma ser rico em carboidratos e recheado de tranqueiras.
  • Alimentos industrializados e processados: Se a comida vem em uma caixa e foi feita dentro de uma fábrica, é melhor evitar.

 

>>>Toda Salada é Saudável. Certo? Nem Sempre é Assim, veja aqui que sua salada pode estar acabando com a sua dieta<<<

 

Passo #3 – Evite os 3 Erros Mais Comuns de Quem Faz Dieta Low-Carb

 

Erro 1 – Comer Carboidratos Demais

Não há uma definição exata do que é uma dieta low carb.

 

Alguns dizem que qualquer coisa abaixo de 50 gramas diárias de carbos já é low carb, e essa quantia de fato está bem abaixo do normal nas dieta ocidental, incluindo a brasileira.

 

Muitas pessoas vão obter ótimos resultados se ficarem nessa faixa, principalmente se os carboidratos vierem de alimentos não industrializados.

 

Erro 2 – Comer Proteína Demais

A proteína é um macronutriente muito importante, e muitas pessoas a consomem em quantidade insuficiente.

 

A proteína aumenta a saciedade e ajuda a acelerar o metabolismo, comparada com outros macronutrientes.

 

De modo geral, consumir mais proteínas facilita a perda de peso e melhora a composição de massa magra.

 

No entanto, muita gente acaba consumindo proteína demais seguindo uma dieta Low Carb.

 

É algo realmente que só existe na internet e é uma interpretação deturpada da low carb, mandando a pessoa se entupir de bacon e ovos.

 

E quando  isso acontece, seu corpo tem mais proteína do que necessita e alguns dos aminoácidos da proteína se transformam em glicose, por meio de um processo chamado gliconeogênese.

 

De acordo com Volek e Phinney, pesquisadores especializados em dieta Low Carb, uma alimentação low-carb bem planejada deveria ser baixa em carboidratos, alta em gordura e moderada em proteína.

 

Não devemos contar as proteínas e nem as gorduras na low carb, siga as proporções no prato. Do total de carboidratos diários metade deles você come de proteina e metade em gordura.

 

>>>Conheça 3 fatos sobre as proteínas que nem mesmo os bodybuilding podem não conhecer<<<

 

Erro 3 – Medo de Consumir Gordura

A maioria das pessoas está acostumada a consumir a maior parte de suas calorias diárias na forma de carboidratos, especialmente açúcares e grãos.

 

Quando elas passam para uma dieta low carb e removem boa parte dos carboidratos, é preciso encontrar outra fonte de calorias.

 

Infelizmente, a maioria acha que se cortar carboidratos é bom, então cortar carboidratos e gordura é melhor ainda.

 

Esse é um grande erro.

 

Ao reduzir o consumo de carboidratos, é preciso substituí-lo por uma outra fonte de energia: a gordura.

 

Se não fizer isso, você vai acabar sentindo fome, ficando mal e vai acabar abandonando sua dieta.

 

Segundo a ciência, não há razão para ter medo de gordura, desde que você evite a gordura trans e reduza o consumo dos óleos vegetais (altos em ômega 6, bastante inflamatórios).

 

Ou seja: pode usar azeite e manteiga sem medo em suas refeições, comece a experimentar receitas com óleo de coco e não fuja dos cortes mais gordos de carne, ok?

 

Um Pouco de Paciência

Sem Pressa com a Dieta

 

 

Agora que você já está empolgado para começar sua dieta low carb, vale deixar aqui um aviso:

 

Tenha um pouco de paciência!

 

A fonte de energia preferida do corpo são os carboidratos. Quando eles estão sempre disponíveis, o corpo nunca vai preferir queimar gordura.

 

Quando você corta os carboidratos, no entanto, o corpo passa a obter energia de outra fonte, a gordura. Seja ela a que está armazenada ou que vem da alimentação.

 

Pode levar alguns dias até que seu corpo esteja adaptado para queimar gordura em vez de carbos.

 

Nesse período, é possível que você se sinta meio estranho, um pouco diferente do normal.

 

Isso é comum e acontece com muita gente, especialmente quando estão tentando uma dieta low carb pela primeira vez.

 

Por isso é importante ter paciência e se manter firme na dieta, principalmente no começo, quando o metabolismo ainda está se ajustando à mudança.

>>>Ser Magro é uma Jornada e não uma Meta, clique aqui e comece sua dieta com o pensamento certo<<<

 

Receitas Low Carb

Aqui vai um apanhado de belas receitas para você colocar no seu dia a dia e ver desde já como comida low carb é saborosa

Pizza Low Carb

Pizza Low Carb

Espaguete de Abobrinha

Espaguette com Tomate Cereja

Pão Low carb

fatia de pão low carb

Trufa de Amendoim com Coco

Trufas Low Carb

Mousse de Chocolate

Mousse de Chocolate

Farofa Low Carb

Farofa Low Carb

Pernil Marinado Low Carb

Pernil: Receita Low Carb para Festas

 

Comida Low Carb é a Comida de Verdade que sempre falo aqui no blog?

 

Essa é a consideração que faltava no artigo de hoje.

 

Por definição comida low carb é qualquer comida que tenha baixa quantidade de carboidrato.

 

Impossível alguém comer em modo low carb e comer um pão que seja. A quantidade de carbo de um pãozinho é absurda, por isso é tão difícil emagrecer comendo pães, bolos e massas.

 

O culpado acaba sendo o carbo, mas ele é só uma fonte de energia, o trigo altamente processado é que concentra altas quantidades de açúcar em pequenas porções.

 

Refrigerante também não é vilão, é a receita atual dos refris que faz conter mais açúcar numa latinha que o recomendado na ingestão do dia. Por falar nisso beber mais de 2 latinhas de refri por semana aumenta em 50% o risco de câncer de pâncreas, o pior de tudo é que câncer no pâncreas é uma doença silenciosa.

 

Mas voltando ao assunto principal. Comida de verdade é a comida rica de vitaminas e minerais, alimentos que nutrem o físico do corpo enquanto saciamos a nossa vontade de comer que as vezes é mais emocional que física.

 

Isso se consegue nos alimentos in natura, sem qualquer processamento, nas verduras, nos legumes, mas carnes cozidas e bem temperadas com especiarias frescas.

 

Então, alimentação low carb pode ser também comida de verdade se sua escolha for por alimentos in natura.

 

Mas existem opções low carb de alimentos falsos, fracos, nus, sem qualquer nutriente para o corpo. Como por exemplo o queijo polenguinho ou a barra atkins. São opções baixas em carboidratos, mas zero vitaminas e minerais.

 

Aprendendo a comer bem >>> Entendendo o que é comida de Verdade

 

Comer bem, com alimentos de verdade é comer o que já crescia na terra a 100 mil anos atrás e as carnes de animais de pasto. Aqui temos garantido a força que precisamos para enfrentar o dia a dia sem qualquer preocupação.

 

Já a dieta low carb nos ajuda a vencer os malefícios dos hábitos modernos ligado a alimentação.

 

Como o glúten que já se descobriu ser o causador de diversas doenças modernas, algumas mais sérias outras nem tanto mas igualmente irritantes se você as tem:

  • ataxia cerebral;
  • neuropatias;
  • anemia;
  • ginecomastia;
  • seboreia;
  • depressão;
  • entre outras.

 

A boa reedução alimentar  é consumir preferencialmente proteínas e gorduras de fontes naturais e reduzir o consumo de carboidrato. E quando consumir o carboidrato faze-lo escolhendo legumes e verduras in natura e reduzir ao máximo o consumo de farinhas de todos os tipos.

 

NOTA: Você não precisa eliminar a farinha de vez da sua vida, mas reduza o consumo ao máximo.

 

Resumo

Realmente vimos muita coisa aqui, se você está aqui e leu todo o texto meus parabéns.

 

Saiba que a mudança começa na mente e nutrir a mente com boas informações é mudar o seu padrão de pensamento para melhor.

 

Por isso, se você ainda não curtiu a FanPage do Seu Infield no Facebook, aqui está o convite. Lá posto constantemente insights para tornar mais fácil sua jornada na perca de peso.

 

Primeiro vimos que a dieta low carb é hoje, 2017, o método mais eficiente de perca de peso e recuperação da saúde.

Ela te ajuda a:

  • Eliminar gordura rapidamente;
  • Eliminar medidas na cintura e quadril;
  • É eficaz em homens e mulheres;
  • Recomendada para jovens obesos e com sobrepeso;
  • Recomendada para mulheres na pré-menopausa (35-45 anos);
  • Combate o colesterol alto;
  • Reduz o nível de triglicerídeos;
  • Aumenta o razão de HDL (colesterol bom);
  • Combate a Diabetes tipo 2;
  • Melhora a sensibilidade a insulina.

 

É a leitura melhorada da dieta dos pontos que apenas contava calorias e não se preocupava com quais macronutrientes estamos ingerindo.

 

Vimos como começar a fazer a dieta em 3 simples passos:

  • Para quem precisa emagrecer contar os net carbs no inicio da dieta;
  • lista de alimentos para começar hoje mesmo a comer melhor;
  • principais erros de quem começa o low carb.

 

Vimos que não é simplesmente cortar os refinados e se entupir de verduras e legumes

 

Vimos que dieta da proteína é algo que só existe na internet, não podemos abusar das proteinas, caso contrario engordamos.

 

Vimos que não temos porque ter medo das gorduras naturais, quando todos os estudos apontam que o que faz mal são os carbos em excesso.

 

Listei várias receitas low carb para provar como é delicioso seguir um cardápio saudável.

Pizza low carb

Espaguete de abobrinha

Pão Low Carb

Farofa low Carb

Mousse de Chocolate low carb

Trufa de Amendoim com Coco

Pernil Marinado Low Carb

 

Por fim expliquei o que é alimentação forte ou comida de verdade, que comida de verdade é low carb, mas nem todo low carb é comida de verdade. Escolha sempre opções in natura, quanto mais natural, mais nutritivo é.

 

Agora peço uma ajuda sua, tentei fazer esse artigo o mais completo possível sobre alimentação low carb.

 

Ficou alguma dúvida, ou tem algo que não abordei aqui, deixe nos comentários para que eu possa estar sempre adicionando conteúdo ao blog.

 

Desde já agradeço a você por estudar conosco sobre nutrição e boa forma. Muito Obrigado.

 

 

Referências

  1. Patty W Siri-TarinoQi SunFrank B Hu, and Ronald M Krauss. Meta-analysis of prospective cohort studies evaluating the association of saturated fat with cardiovascular disease. First published January 13, 2010, doi: 10.3945/​ajcn.2009.27725.
  2. Rajiv Chowdhury, MD, PhD. Association of Dietary, Circulating, and Supplement Fatty Acids With Coronary Risk: A Systematic Review and Meta-analysis. Published: Ann Intern Med. 2014;160(6):398-406. DOI: 10.7326/M13-1788.
  3. C. Rolland, U. Kulkarni, A. Wise, J. Broom, M. Hession. Systematic review of randomized controlled trials of low-carbohydrate vs. low-fat/low-calorie diets in the management of obesity and its comorbiditiesFirst published: DOI: 10.1111/j.1467-789X.2008.00518.x.
  4. S. S. Esteves,A. da Costa Pereira,W. S. Yancy Jr,J. P. L. Nunes. Systematic review and meta-analysis of clinical trials of the effects of low carbohydrate diets on cardiovascular risk factorsFirst published: DOI: 10.1111/j.1467-789X.2012.01021.x.
  5. Eric C WestmanRichard D Feinman. Low-carbohydrate nutrition and metabolismAm J Clin Nutr August 2007 vol. 86 no. 2 276-284.
  6. McClernon FJ, Yancy WS Jr, Eberstein JA, Atkins RC, Westman EC. The effects of a low-carbohydrate ketogenic diet and a low-fat diet on mood, hunger, and other self-reported symptoms. Obesity (Silver Spring). 2007 Jan;15(1):182-7. DOI:10.1038/oby.2007.516.
  7. Nancy F. Krebs, MD, MS, Dexiang Gao, PhD, Jane Gralla, PhD, Juliet S. Collins, MD, and Susan L. Johnson, PhD. Efficacy and Safety of a High Protein, Low Carbohydrate Diet for Weight Loss in Severely Obese Adolescents. Published in final edited form as:J Pediatr. 2010 Aug; 157(2): 252–258.
  8. McClernon FJ, Yancy WS Jr, Eberstein JA, Atkins RC, Westman EC. The effects of a low-carbohydrate ketogenic diet and a low-fat diet on mood, hunger, and other self-reported symptoms. Obesity (Silver Spring). 2007 Jan;15(1):182-7.
  9. Nancy F. Krebs, MD, MS, Dexiang Gao, PhD, Jane Gralla, PhD, Juliet S. Collins, MD, and Susan L. Johnson, PhD. Efficacy and Safety of a High Protein, Low Carbohydrate Diet for Weight Loss in Severely Obese Adolescents. J Pediatr. Author manuscript; available in PMC 2011 Aug 1.
  10.  Patrick E. McBride, MD, MPH. Triglycerides and Risk for Coronary Heart DiseaseJAMA. 2007;298(3):336-338. doi:10.1001/jama.298.3.336.
  11. Elizabeth J. Parks. Effect of Dietary Carbohydrate on Triglyceride Metabolism in Humans. J. Nutr. October 1, 2001 vol. 131 no. 10 2772S-2774S.
  12. Parks EJ. Dietary carbohydrate’s effects on lipogenesis and the relationship of lipogenesis to blood insulin and glucose concentrations. Br J Nutr. 2002 May;87 Suppl 2:S247-53. DOI:10.1079/BJNBJN/2002544.
  13. Kimber L. Stanhope, Jean Marc Schwarz. Consuming fructose-sweetened, not glucose-sweetened, beverages increases visceral adiposity and lipids and decreases insulin sensitivity in overweight/obese humans.
    J Clin Invest. 2009 May 1; 119(5): 1322–1334. Published online 2009 Apr 20. doi:  10.1172/JCI37385.
  14. Y. Wady Aude, MD; Arthur S. Agatston, MD; Francisco Lopez-Jimenez, MD, MSc. The National Cholesterol Education Program Diet vs a Diet Lower in Carbohydrates and Higher in Protein and Monounsaturated FatArch Intern Med. 2004;164(19):2141-2146. doi:10.1001/archinte.164.19.2141.
  15. Richard J. Wood*Jeff S. VolekYanzhu LiuCarbohydrate Restriction Alters Lipoprotein Metabolism by Modifying VLDL, LDL, and HDL Subfraction Distribution and Size in Overweight Men. J. Nutr. February 2006 vol. 136 no. 2 384-389.
  16. Elizabeth J. Parks, Ronald M. Krauss, Mark P. Christiansen, Richard A. Neese and Marc K. Hellerstein. Effects of a low-fat, high-carbohydrate diet on VLDL-triglyceride assembly, production, and clearance. Published in Volume 104, Issue 8 (October 15, 1999) J Clin Invest. 1999;104(8):1087–1096. doi:10.1172/JCI6572.
  17. Peter P. Toth. The “Good Cholesterol” High-Density Lipoprotein. Circulation. Originally published February 7, 2005.
  18. D J Gordon, J L Probstfield, R J Garrison. High-density lipoprotein cholesterol and cardiovascular disease. Four prospective American studies. Circulation.
  19. Division of Cardiology, Hartford Hospital, Connecticut 06102, USA. High-density lipoprotein cholesterol as an independent risk factor in cardiovascular disease: assessing the data from Framingham to the Veterans Affairs High–Density Lipoprotein Intervention Trial
  20. Lars Berglund. HDL-subpopulation patterns in response to reductions in dietary total and saturated fat intakes in healthy subjectsAm J Clin Nutr December 1999 vol. 70 no. 6 992-1000.
  21. Mensink RP, Katan MB. Effect of dietary fatty acids on serum lipids and lipoproteins. A meta-analysis of 27 trials. Arterioscler Thromb. 1992 Aug;12(8):911-9.
  22. Ronald P MensinkPeter L ZockArnold DM Kester, and Martijn B Katan. Effects of dietary fatty acids and carbohydrates on the ratio of serum total to HDL cholesterol and on serum lipids and apolipoproteins: a meta-analysis of 60 controlled trialsAm J Clin Nutr May 2003 vol. 77 no. 5 1146-1155.
  23. Foster GD, Wyatt HR, Hill JO, McGuckin BG, Brill C, Mohammed BS, Szapary PO, Rader DJ, Edman JS, Klein S. A randomized trial of a low-carbohydrate diet for obesity. N Engl J Med. 2003 May 22;348(21):2082-90.
  24. Brinkworth GD, Noakes M, Buckley JD, Keogh JB, Clifton PM. Long-term effects of a very-low-carbohydrate weight loss diet compared with an isocaloric low-fat diet after 12 mo. Am J Clin Nutr. 2009 Jul;90(1):23-32. doi: 10.3945/ajcn.2008.27326. Epub 2009 May 13.
  25. Protasio Lemos da Luz, Desiderio Favarato, Jose Rocha Faria-Neto Junior, Pedro Lemos and Antonio Carlos Palandri ChagasHigh Ratio of Triglycerides to HDL-Cholesterol Predicts Extensive Coronary Disease.
    Clinics. 2008 Aug; 63(4): 427–432.doi:  10.1590/S1807-59322008000400003.
  26. Mehdi H. Shishehbor, DO, Byron J. Hoogwerf, MD and Michael S. Lauer, MD. Association of Triglyceride–to–HDL Cholesterol Ratio With Heart Rate Recovery
  27. Elaine M. Urbina, MD, MS, Philip R. Khoury, MS, Connie E. McCoy, RVT, Lawrence M. Dolan, MD, Stephen R. Daniels, MD, PhD,b and Thomas R. Kimball, MD. Triglyceride to HDL-C Ratio and Increased Arterial Stiffness in Children, Adolescents, and Young Adults. PEDIATRICS Volume 131, Number 4, April 2013.
  28. Ralph A DeFronzo, MD and Eleuterio Ferrannini, MD. Insulin Resistance: A Multifaceted Syndrome Responsible for NIDDM, Obesity, Hypertension, Dyslipidemia, and Atherosclerotic Cardiovascular Disease
  29. S. E. Kahn. The relative contributions of insulin resistance and beta-cell dysfunction to the pathophysiology of Type 2 diabetes. Diabetologia. , Volume 46, Issue 1, pp 3–19.
  30. William S YancyJr, Marjorie FoyAllison M ChaleckiMary C Vernon and Eric C Westman. A low-carbohydrate, ketogenic diet to treat type 2 diabetes. Nutrition & Metabolism2005:34. DOI: 10.1186/1743-7075-2-34.
  31. Noakes M, Foster PR, Keogh JB, James AP, Mamo JC, Clifton PM. Comparison of isocaloric very low carbohydrate/high saturated fat and high carbohydrate/low saturated fat diets on body composition and cardiovascular risk. Nutr Metab (Lond). 2006 Jan 11;3:7.
  32. Eric C Westman and Mary C Vernon. Has carbohydrate-restriction been forgotten as a treatment for diabetes mellitus? A perspective on the ACCORD study designNutrition & Metabolism2008:10 DOI: 10.1186/1743-7075-5-10.
  33. Eric C Westman, William S Yancy, Jr. The effect of a low-carbohydrate, ketogenic diet versus a low-glycemic index diet on glycemic control in type 2 diabetes mellitus. Nutr Metab (Lond). 2008; 5: 36.
    Published online 2008 Dec 19. doi:  10.1186/1743-7075-5-36.
  34. Gardner CD1, Kiazand A, Alhassan S. Comparison of the Atkins, Zone, Ornish, and LEARN diets for change in weight and related risk factors among overweight premenopausal women: the A TO Z Weight Loss Study: a randomized trialJAMA. 2007 Mar 7;297(9):969-77.
  35. Jeff S Volek and Richard D Feinman. Carbohydrate restriction improves the features of Metabolic Syndrome. Metabolic Syndrome may be defined by the response to carbohydrate restriction. Nutrition & Metabolism2005:31. DOI: 10.1186/1743-7075-2-31.
  36. Feinman RD, Makowske M. Metabolic syndrome and low-carbohydrate ketogenic diets in the medical school biochemistry curriculum. Metab Syndr Relat Disord. 2003 Sep;1(3):189-97. doi: 10.1089/154041903322716660.
  37. Westerterp-Plantenga MS, Nieuwenhuizen A, Tomé D, Soenen S, Westerterp KR. Dietary protein, weight loss, and weight maintenance. Annu Rev Nutr. 2009;29:21-41. doi: 10.1146/annurev-nutr-080508-141056.

Ezequiel Alves

Blogueiro no Seu Infield. Pesquisador e Culinarista. Seu interesse por Nutrição começou há 4 anos quando descobriu a dieta low carb. Agora me dedico a disseminar esse conteúdo ao maior número de pessoas possível.
  • Belo artigo, estou querendo aprender mais sobre o assunto e achei esse artigo bem escrito. Bom trabalho. Poderia falar mais de alimentos low carb.

  • Sol Yvesk

    Nossa, uma verdadeira aula de dieta saudável neste artigo, gostei muito.
    Estou precisando urgente perder uns quilinhos. Já tinha ouvido falar desta dieta
    mas não com tantos detalhes.
    Obrigada, me interessou muito.

Fechar Menu